quinta-feira, 12 de junho de 2008

Desconstruindo sentimentos

Caros amigos leitores, escrevo com nenhum outro propósito alem de entretê-los. Existem assuntos dos quais eu não escrevo mais, apenas falo pessoalmente. Estou desconstruindo meu abrigo de palavras, fugindo um pouco desta proteção de sentimentos impressos. Escrevia cartas todos os dias. Compunha poemas sob a luz da lua cheia. Fazia de minhas palavras pontes entre melancolia e alegria. Já não consigo evitar que as lagrimas rolem com palavras de amor. Sempre que pretendo falar sobre estes assuntos obscuros que tratam do coração fico engasgado sem saber mais o que falar. Foi-se o tempo em que eu achava que amar era fácil, tão fácil como escrever sobre. Já que aprendi algumas coisas nos meus ordinários anos de vida, decidi falar menos de amor, e vive-lo um pouco mais. Quero poder te dizer cada detalhe de meus sonhos, e cantar todas as músicas mais estranhas e medonhas. Dançar ao som de uma triste chuva.

É quero tudo isso e um pouco além, minha imaginação já não constrói as mais belas paisagens. Não preciso mais de abrigo. Aos poucos quero poder contar meus segredos, e agradecer pelos pecados. Não estou sozinho em pensamento.

Quero poder escrever cartas e poemas novamente, mas todos direcionados para você!

Um comentário:

Ciaberta disse...

Eu sinto que ainda tenho muita coisa pra te contar...
Segredos, vontades, sonhos, pesadelos, sei lá, um pouco de mim pra você.

Quero sempre está perto. ;*