sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Suicídio lento

Cigarros e mais cigarros,
O que sou capaz de fumar eu fumo,
E cometo esse suicídio esfumaçado
Lento e gradativo
Meus pulmões choram
E clamam por perdão
O que sou capaz de queimar eu queimo
E as cinzas do cinzeiro sou capaz de aspirar
Envelhecido pelo tempo e a carteira diária
Escrevo poesias com a fumaça da boca
Contando minhas vontades mortais.

2 comentários:

Pati disse...

Deve ser chato ir se matando aos poucos...

Lais disse...

Seu pulmão chorava até o dia 15. Tomara que ele não precise mais sofrer!!