sábado, 3 de abril de 2010

LSD

na solidão amarga da espera
o doce, pulsa na veia
os pés na estrada,
o sangue deixado para trás
as lagrimas sofridas em vão
derramadas em pura alucinação
eu vejo espiritos ao meu redor
eu escuto vozes, fico em completo medo.
lá só dentro de fora a deixa dentro.
a dor de cabeça, a ressaca
a viagem de volta
lá só doutro lado de lá fora cá acolá
do arrependimento surge a raiva
do doce pulsando na vida
das cores pulando cerca
da agua do mar salguando as mentiras
das pedras em xareu pulando pra onde?
por onde?
o grito, na raiva, corto o ar com um soco

como se fosse um sopro, me ponho a caminhar
pensando em merda, fui pra outro lugar

3 comentários:

R&C disse...

uau, adorei a tua poesia, és um louco nesse turbulhão de sensações :P , parabens . Ruben http://rcboattrip.blogspot.com/

Ana Carolina disse...

Simplismente perfeito!!!

Tai disse...

Tuas palavras são densas...!
Gostei muito do teu blog!
^^
vou seguir!
^^