quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O sol e a Lua

Quando o sol magoou a lua, e dela se afastou
Toda a humanidade chorou, pois sabia que estava condenada
Passou a dividir o dia
Em
A parte do enfurecido avermelhado, e a parte da dama prateada
E sonhou no dia em que eles se juntariam novamente
Ate que, o eclipse apareceu
E todos pensaram como era lindo o amor
E o eclipse, logo se desfez
E a humanidade parou de sonhar com tamanha besteira

Um comentário:

patricia disse...

Nem sempre é como queremos, mas acho que todo mundo deve sonhar um pouco.
Não "sempre", mas as vezes faz bem.
E isso que é bonito no sol e na lua, o fato de elas nunca se encontrarem, talvez sempre tentando, mas sem sucesso.