quarta-feira, 25 de março de 2009

Abandonados Guardados

Não adianta mais ser crucificado
Não adianta ficar atormentado
O seu coração não funciona desse jeito
Jesus não quer o seu respeito
Feche essa boca cheia de agonia
Engula tudo que é amargo
Raspe a barba desse rosto esburacado
Que o tempo não teve perdão.
Aquilo que foi abandonado
Deve ser guardado
Não se esqueça de onde veio
Não retorne ao principio acorrentado
Calce seus sapatos mais uma vez
Suba aquela escada tortuosa
Sangre pelos poros de suor
Cuspa essa saliva amedrontada.
Leia o livro da morte, não tente achar respostas
Pois elas ainda estão guardadas
Pois elas não foram abandonas
Nem ao menos esquecidas
Foram trancadas numa gaveta
E a chave está no seu pescoço torto
Não aceite o que é errado
Nem que tenha que saber
Jesus não te fez nada.

Um comentário:

Ciaberta disse...

gostei desse, ele é forte.
tem pessoas que se lessem iam ficar: ai meu deus, =O

e ai, vai começar a organizar os poemas pra publicar quando?