segunda-feira, 25 de julho de 2011

Digo

Digo mais
E digo mais ainda
Abro o peito e grito:
“Meu eu poético
É espelho de palavra bruta,
Polida, cosida, escondida
Versos em forma de gruta.
Guturalmente esbravejada.
Uso do eu para falar
do que não é meu
encontrando no escuro
letras em forma marchando"

2 comentários:

Andressa C. disse...

Uso do eu para falar
do que não é meu

:)

Maggie May disse...

tudo que é visceral é verdadeiro!